concorrencia

O erro de achar que não temos concorrente

É muito comum em conversa com empreendedores eu perguntar quem são os concorrentes da marca e ouvir “a gente faz uma coisa nova, não temos concorrentes”.

Erro grave, amigos.

A maioria das startups surge com uma proposta inovadora, então é comum que façam algo de forma completamente diferente do resto do mercado. Mas o erro aqui não é achar que nossa inovação não é válida, e sim achar que o consumidor nos percebe como uma coisa completamente diferente do que existe no mercado.

O consumidor quando decide uma compra analisa os players que se encaixam na categoria e escolhe qual comprar pelos seus diferenciais. Nesse caso, a inovação diferencia a startups dos outros players e não faz dela algo completamente sem concorrentes, sem comparação.

Eu gosto do exemplo do carro. O primeiro carro foi, na visão do consumidor, uma charrete com um grande diferencial: o motor. Com o tempo e o surgimento de outros carros o consumidor começou a entender que existia essa nova categoria e os carros começaram a precisar de novos diferenciais.

A metáfora vale para qualquer nova categoria. Pensa o Uber, era um taxi com motorista particular. Daí a fúria dos taxistas, O Uber não concorria com caronas ou motoristas particulares e sim com taxis, ou seja, ele entrou no mercado de taxis, concorrendo com taxis, mesmo sem ser taxi.

Esse pode ser seu caso. Você sempre tem concorrentes e sempre participa de um mercado. Mesmo que você enxergue seu produto como uma nova categoria, isso ainda levará tempo para ser construído na cabeça do consumidor. Enquanto isso sua marca é uma charrete motorizada. Não esqueça disso na hora de construir seu posicionamento.

guta

Guta é fundadora da Brand Gym e responsável pela área de estratégia. Começou a montar a empresa quando trabalhava nas principais agências de branding e publicidade do Rio, trabalhando como freelancer para construir as marcas de diversas startups. Já atuou em grandes contas e agora se dedica às marcas que precisam nascer e crescer fortes.

post relacionado
Como construir uma marca de estilo de vida na moda?
Branding, só mais um truque de marketing?