type_capa-04

Diferenciação ou conveniência. Impactos sobre a escolha da tipografia.

Vanessa Tiomno
Vanessa Tiomno
Designer e Sócia na Brand Gym

Google Font X Fonte proprietária: o que está por trás dessa escolha?

O que é preciso considerar antes de tomar essa decisão?

A tipografia por muito tempo foi – e, em alguns casos, ainda é – um elemento de grande diferenciação entre empresas, seja ela própria, criada especificamente para a marca, como é o caso da Audi (Audi Type), do Airbnb (Cereal), do Itaú Unibanco (Itaú Display) e da Reserva (Humanas), ou licenciada, quando você adquire a permissão de uso por um tempo limitado, como é o caso da Adidas (ITC Avant Garde) e o Spotify (Gotham)..

Não por acaso existem especialistas nesse tema, que desperta grande interesse e é ferramenta estratégica para quem trabalha com design, marketing e comunicação.

Mesmo para quem não é especialista, é possível perceber que tipografias diferentes ajudam a construir identidades, a transmitir mensagens e a criar universos simbólicos distintos. Por isso, elas são uma das ferramentas de diferenciação, junto com a cor, a linguagem fotográfica e as ilustrações.

Parte do trabalho de branding é encontrar uma personalidade para uma marca – e uma fonte que represente essa personalidade faz parte disso. Aqui, vale uma explicação: a fonte usada no logotipo pode ser diferente das usadas para os textos da comunicação. 

Mas branding para startups ou para marcas tradicionais, como as que citamos acima, de um modo geral, leva a estratégias diferentes. Com startups, algumas questões importantes devem ser levadas em consideração na hora de escolher entre uma fonte desenhada exclusivamente para a empresa, uma licenciada ou uma Google Font. 

1º – Custo e necessidade de gestão de licenças

Uma fonte mais exclusiva é paga e precisa ter sua licença atualizada. Por isso, muitas grandes empresas criam suas próprias fontes. É mais barato ter a sua própria fonte do que pagar licença para muitos usuários, por exemplo. Além disso, você provavelmente não quer ter que se preocupar em fiscalizar se as pessoas estão usando a licença da forma correta.

2º – Espaços publicitários diferentes

Em empresas tradicionais, a maior parte da comunicação acontece no formato imagem, seja em ads de Display, seja em mídias tradicionais impressas ou audiovisuais. Nessas mídias, o tipo de fonte não faz diferença em mecanismos de busca, pois o arquivo é fechado como imagem pelo designer arte-finalista. 

Em startups, a maior parte da comunicação acontece em ambientes que precisam carregar a fonte, como landing pages e apps, e é então que a performance começa a falar mais alto do que a diferenciação da marca.

É nessa hora que as Google Fonts começam a fazer bem mais sentido.

Diferentemente de outros sites em que o usuário adquire fontes sem acentuação, além de outros erros, o Google Fonts é a melhor alternativa para quem quer acessar um catálogo de boa qualidade atualizado periodicamente. Isso mostra que a empresa vem investindo no estudo da tipografia e em novos designers pelo mundo para deixar sua biblioteca cada vez mais rica, indo muito além das Robotos, Open Sans e Montserrats.

Existe, inclusive, um espaço voltado para estudos tipográficos no Google. E, como não podia faltar, um analytics. Quanto menos usada, mais a fonte vai ajudar a diferenciar sua marca.

Vantagens das Google Fonts para quem tem uma startup:

  • Fontes Google ficam guardadas no cache e, por conta disso, o site leva consideravelmente menos tempo para carregar;
  • O Android já traz consigo as Fontes Google e seu app fica mais leve, já que é um arquivo a menos para carregar;
  • Seu time consegue usar internamente as fontes e manter a identidade em programas do Google, como Google Docs e Google Presentations. Essa é uma grande vantagem se você for B2B e quiser usar o Presentations para suas reuniões;
  • É gratuito. Você não precisa controlar as licenças ou gastar com fonte.

Ter uma fonte não proprietária e do Google Fonts não significa necessariamente uma fonte sem personalidade. Mesmo com um leque de opções menor, há sempre opções que conversam com a marca e que agregam performance para o produto. O que sempre falamos por aqui é “great products deserve great brands”. Dessa forma, sempre que a escolha da fonte do Google for benéfica para o produto, essa será nossa recomendação.

Valorizamos as fontes proprietárias, o incrível trabalho dos tipógrafos e o alto potencial de diferenciação que uma fonte exclusiva pode promover. Entendemos os desafios de negócio das startups e a importância de equilibrar conveniência e diferenciação para suas marcas e, por isso, desenvolvemos outros recursos para suas linguagens visuais e verbais além da tipografia.

Acreditamos que quando a marca estiver gastando mais em mídias tradicionais e a fonte não for mais uma questão de performance, aí sim passa a ser interessante investir em uma tipografia própria para ampliar a diferenciação.